Quinta-feira, 24 de Maio de 2007

Perguntei por ti ao Vento

 

Foto de Gregória Correia

.

.

"Conversas com o vento"

Perguntei por ti, ao vento...

I

perguntei por ti, ao vento
confiante no seu saber
certo de que saberia ler
a magia do momento

agitou-se a rama do pinheiro
como linguagem gestual
o som forte no pinhal
disse franco, que primeiro

diria eu, porque razão
lhe fazia esta interrogação
tão vaga e desconcertante

ao que respondi, prontamente:
é esta paixão certamente
que reclama o amor distante...


e o vento reflectindo...foi dizendo:

II

o que te digo é complexo
é total e absorvente
de dia é luz, é reflexo
força motriz, roda persistente

é sorriso afável, é ternura
prazer ilimitado, é visão
é fraternidade e candura,
é lírio, amor-perfeito, paixão

à noite, é lua cheia
constelação piramidal
orion ou cassiopeia,
verso, poema fundamental

perguntaste-me por ela... e eu digo:

é no tempo, o minuto
no horizonte, linha mestra
na árvore, o prório fruto
na palavra, a palestra

é água de um rio secreto
fogueira de uma ilusão
tesouro em cofre aberto
sonho do sonho, é paixão

mística mistura de amor
infinito exponencial
obra-prima, átomo gerador
da verdade existencial

perguntei por ti, ao vento...
e o vento disse:


III

É a heroína de muitas lutas que ganha aos maus, na última página do livro da vida.

Escreve por norma, palavras brancas, cujo significado são nomes de flores inventados, sob a forma de coração, que umas vezes se confundem com guitarras, outras, com beijos rubros e incandescentes.

Respira perfumes desconhecidos, oriundos das ondas do mar, que em noites de lua cheia a transmutam, ora em caravela, ora em gaivota branca e que assim lhe permitem obter visões celestiais, das sete partes do mundo, que depois, em mansas marés ou à janela da casa das flores, resume em poemas afrodisíacos.

Alimenta a alma com as cores virgens da natureza, o que faz dela o "fantasma bom", das consciências obscuras e sempre, mas sempre, juiz supremo do inconformismo.

Chora e ri como os humanos, mas é mais do que isso, perpetua-se na memória dos humildes e inocentes, apenas pelo som do seu sorriso e pelo calor que emana do seu olhar.

Tem no gesto a íntima e fina condição de mulher, por isso Virgem nos sonhos, com que diáriamente se reconstrói, sempre mais bela, no modo e na permanência.

É o verdadeiro "amor-perfeito".


Tu... sombra...
só aprendeste a amar, o amor que os homens sabem fazer...

o imperfeito!

.

Autor: Victor

          José L Santos (pseudónimo)

          (sombra)

........

 

 

Tenho um amigo desconhecido, que tem deixado ao longo de muitos meses, verdadeiras pérolas, escondidas em conchas/comentários e que eu de tempos a tempos, dou a conhecer a quem me visita. Todos os que aqui o têm lido, já manifestaram a profunda admiração por tudo aquilo que escreve, quer em forma de poesia, quer em prosa.

É conhecido aqui, como Sombra, mas já utilizou vários outros nomes, nomeadamente no ínicio do Vivências.

O pseudónimo Jose L Santos, foi escolhido por ele, quando o desafiei a escolher um nome, para assinar a sua Poesia.

.

Victor, será o seu nome verdadeiro.

.

Na blogosfera, tudo é possivel, até criaram-se pontes/laços entre pessoas que não se conhecem. 

.

Quero prestar mais uma vez, um tributo, à pessoa que está por detrás dos vários nomes e divulgar de novo a sua Poesia.

.

Envio-lhe amigo Victor, um abraço carinhoso, desejos de rápida recuperação e acredite:    - Todos sentimos a sua falta.

 

 

.

Quanto a mim...continuo a perguntar por si...ao vento!

.

Bj

Teresa

.

 


neste momento estou: saudosa

escrevinhado por MT-Teresa às 22:04
link do post | comentar | ver comentários (13) | favorito
partilhar
Terça-feira, 24 de Abril de 2007

O Grito e a Utopia de Um Povo Inocente

.

Hoje lancei um grito (mudo) contra a injustiça e os tiranos da democracia. 
Mesmo assim, alguém o ouviu e entre outras coisas, disse-me:
 
"Se te perguntarem o que é ser  de  Esquerda , diz-lhe que é viver sem autorização de ninguém e mijar na tumba dos  tiranos da democracia, que mascáram ..."
.
Obrigada João P. por teres ouvido o meu grito.
.
 
Tinha pensado acabar o ciclo do 25 de Abril com um Poeta consagrado. Mudei de ideias depois do grito (meu) e de ter lido o fantástico poema que alguém me deixou num comentário. Não sei se é consagrado mas é Poeta sem "sombra" de dúvidas.
.
Obrigada amigo "Sombra" (cujo nome porque escolheu ser conhecido aqui, está pela 1ª vez  visível) por me ter dedicado (também) este poema.
.
 
UTOPIA DE UM POVO INOCENTE

naquele tempo
era a vontade, que me urgia a esperança
era o grito ainda amordaçado,
que me reclamava o abraço
que me renovava o sorriso...
era o "crer" e o " acreditar",
que me requeria o testemunho
de assistir na rua e a uma só voz:

ouvir dizer "não"...
ouvir dizer "basta"!

era o renascer de uma nação inteira
feita de sonhos e alegria
com os largos e as ruas do meu país
repletas de júbilo colectivo,
onde o som ensurdecedor
da igualdade... em lágrimas nos comovia...

naquele tempo

os poetas eram ainda, "soldados desconhecidos"
e os capitães...
que tinham cara de menino e nervos de aço,
eram os verdadeiros apóstolos da fraternidade
e... muitos não sabiam o que isso era...
mas não importava, porque tudo era novo...
e o povo gostava... de ser povo
e assim anónimo, o povo cantava "Zeca"
e reinventava caminhos, "...dentro de ti ó cidade..."

naquele tempo
nesse dia... 25 de Abril

a liberdade... que ninguém conhecia

tinha a forma de um cravo
e a cor  verde e rubra de... Portugal

.

José L. Santos (sombra)

07.04.24

. 



escrevinhado por MT-Teresa às 21:12
link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
partilhar
Quinta-feira, 15 de Fevereiro de 2007

Pensa-me

.

quando te penso...

ouço distintamente
os murmúrios húmidos e pontiagudos
do teu desejo

e ainda quentes
guardo-os
na velha caixa de recordações
que trago ao peito


ao invés...


quando te sonho...

és tu que dissimuladamente
me retiras do peito
um por um

os erectos ais de meu prazer
que, com beijos tórridos
transformas em gotas de paixão

cor de lua cheia...

por fim...abandonados
num abraço ausente
mas definitivamente cúmplice

tatuamo-nos com sorrisos.
.
Autor:  "Sombra"..
.
 
 
Não conheço o autor ( pessoalmente)...
mas sei que ele existe...porque me visita...aqui
.

 

ao som de: Doors

escrevinhado por MT-Teresa às 21:44
link do post | comentar | ver comentários (14) | favorito
partilhar

Esta sou eu

segue-me

. 51 seguidores

Vivências Recentes

Perguntei por ti ao Vento

O Grito e a Utopia de Um ...

Pensa-me

Vivências Passadas

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Quem visito e me visita

mais comentados

14 comentários

últ. comentários

Eu quase choro com esse texto, é muito emocional. ...
http://relatodeumaborto.webnode.com/ Minha Histori...
Oi GENTE MEU NOME E ROSE TENHO 13 EU SO...
Chocante
oi meu nome é joice e eu to grávida ...
eu sou totalmente contra o aborto... eu tenho 15 a...
Acho o seguinte: todos cometemos erros! Com certez...
tb naum axo certo o aborto...matarem seu proprio f...
Isso e uma falta de ética. Pq... Q na hr q ...
Olá, Tenho 18 anos , minha namorada é mais nova do...
As nuvens passam, as amaçadores também. Desejo que...
JoãoDesistir nunca! Apenas deixei de escrever, mas...
Todos temos dores, sofremos. [Error: Irreparable i...
Aborto uma das piores coisas da vida,um ser apagan...
ESte blog é muito simpatico, Gostei,Miguel

tags

25 de abril(5)

abril(9)

adeus(9)

alegria(5)

amigos(30)

amizade(14)

amor(137)

aniversário(9)

ano novo(3)

arte(7)

ausência(17)

azuis(9)

beleza(7)

blog(41)

blogue(5)

café(3)

casa das flores(3)

cecilia meireles(6)

cinema(4)

cinza(3)

citação(29)

coisas simples(4)

consciência(3)

cores(3)

dança(16)

david mourão ferreira(7)

descoberta(3)

desejos(7)

desencontro(4)

dia do livro(3)

dor(4)

encontro(4)

enganos(5)

escolhas(4)

escrita(3)

espectaculo(3)

eu(12)

eugénio de andrade(5)

fado(4)

férias(5)

fernando pessoa(3)

filho(15)

fim(4)

florbela espanca(5)

flores(17)

fotografia(13)

fotos(11)

fotos minhas(4)

ilusão(3)

inquietação(3)

joaquim sustelo(4)

josé l. santos(3)

lágrimas(3)

liberdade(13)

lisboa(10)

livros(8)

lua(6)

luz(4)

mãe(7)

manhãs(4)

mar(19)

margarida(4)

maria teresa horta(4)

máscaras(5)

memória(18)

miguel torga(7)

morte(6)

mulher(9)

música(19)

natal(8)

noite(19)

olhos(4)

pai(4)

paixão(16)

páscoa(4)

paz(9)

pintura(13)

poema(117)

poemas de amor(8)

poesia(85)

portugal(5)

primavera(6)

rugby(6)

saudade(24)

silêncio(15)

sol(5)

solidão(19)

sonho(9)

sonhos(4)

sophia m breyner(18)

tango(5)

tempo(14)

trabalho(5)

triste(4)

tristeza(15)

tu(4)

veneza(4)

vida(225)

video(17)

zeca afonso(4)

todas as tags

Pesquisa

 

Favoritos

Vivências

1º Aniversário

As nossas almas

Encontro Mágico

Estrela do Mar II

A Carícia do Sol

Parabéns Filho

A Teia

Dia do Livro

O Crepúsculo

subscrever feeds