Segunda-feira, 5 de Novembro de 2007

....

 
 
 
Para quem ama, não será a ausência a mais certa, a mais eficaz, a mais intensa, a mais indestrutível, a mais fiel das presenças?

 
Marcel Proust

 


escrevinhado por MT-Teresa às 20:30
link do post | comentar | favorito
partilhar
12 comentários:
De J.S. a 7 de Novembro de 2007 às 06:52
Bom dia Teresa

Ausência

Por muito tempo achei que a ausência é falta.
E lastimava, ignorante, a falta.
Hoje não a lastimo.
Não há falta na ausência.
A ausência é um estar em mim.
E sinto-a, branca, tão pegada, aconchegada nos meus braços,
que rio e danço e invento exclamações alegres,
porque a ausência, essa ausência assimilada,
ninguém a rouba mais de mim.

Com votos de um bom dia, deixo-te aqui a "Ausência" de Drummond de Andrade.

bjo
J.S.



De MT-Teresa a 7 de Novembro de 2007 às 18:27
Obrigada pela visita

Bj


De Margarida a 7 de Novembro de 2007 às 12:32
A Ausência também nos traz a esperança da presença.


De MT-Teresa a 7 de Novembro de 2007 às 18:28
Às vezes...!



De mariola a 7 de Novembro de 2007 às 21:35

Ausências…




Se tu ouves os meus silêncios, com saudade,
É porque em ti deixei
A serena virtude, do entendimento.
Deixei em ti momentos de raridade,
Porque foram em ti, as palavras que eu amei,
Como se tu fosses um poema. O meu pensamento!

Foram os meus verbos e as tuas expressões,
Que nos ensinaram a gramática da paixão.
Traços únicos de tanto querer!
Foram os meus sonhos e as tuas ilusões,
Que deram à tua esperança, a forma do meu coração
E ao meu destino, uma outra sina… escrever.

Agora, são outros… os nossos momentos!
São a inestimável distância de um adeus,
Talvez a pausa para nos ouvirmos francamente,
Em silêncios… sim, tristes como tormentos
E solenes, tal como divinos, por cruzarem os céus
Mas, de certeza… inocentes! Totalmente.

Que sentido podem ter, afinal…
Palavras anónimas, sem rosto e sem perfume!
Palavras soltas… talvez sobrantes,
De um outro pecado, original.
De um outro azedume…
Ou talvez, quando fomos de… outros amantes?


07.11.07

Vasconcelos

PS: Este é o meu contributo para a temática que sugeriu!

Beijo

Vasconcelos



De MT-Teresa a 7 de Novembro de 2007 às 21:56
Hoje voltei a ler coisas antigas. Pensei que este espaço deixou de ser só meu, ou pelo menos deixei de o sentir assim. Aqui se cruzou muita gente que lhe deu vida, cor e "calor", com as suas "Vivências", poemas, textos.

Hoje senti alguma tristeza porque também senti saudades desses sinais de "vida" a pulsar aqui.

Tudo tem um tempo. Denoto algum cansaço em mim e também nos outros. Pela 1ª vez deste que criei este espaço, interroguei-me sobre se valeria a pena continuar e até senti vontade de simplesmente apagar tudo.

A sua presença hoje aqui, Vasconcelos, talvez seja uma coincidência, ou será que não há coincidências?

Telepatia..talvez?...Não...também não foi...

Isto tudo para lhe dizer que o Vivências sem certas pessoas não faz sentido. Uma delas é o Vasconcelos.


Obrigada por ter "adivinhado" o peso da ausência que
sinto em mim. e por deixar que eu saiba das "suas" ausências.

Obrigada pelo poema magnífico...e triste!
(mas...os Poetas são tristes, mais que fingidores)

Um beijo



De Visitante a 9 de Novembro de 2007 às 18:51
Ausência?
Porque não?
Afinal, com um crescendo
de esmero
e alguma paciência,
Se fortalece a noção
do desvanecendo
até ao absoluto e final zero.

(à força de querer rimar
saiu-me este disparatar)

Beijinho repenicante
do ultimamente
muito ausente
Visitante


De MT-Teresa a 12 de Novembro de 2007 às 19:42
Mas um "disparate" com sentido, digo eu.


Talez tenhas razão quanto ao "final zero"! Afinal é no que a ausência definitiva se torna.

O pior é a memória...que fica!

Bjs


De myself a 10 de Novembro de 2007 às 22:12
Proust era um grande mestre na escrita e nas definições. Mas para quem ama eu prefiro a presença real.


De MT-Teresa a 12 de Novembro de 2007 às 19:46
Eu também, sem sombra de dúvida e quando se ama, nunca ou quase nunca nos lembramos do "depois"

mas ele existe...Ah!..se existe.

Obrigada pela visita e volta sempre


De Méon a 12 de Novembro de 2007 às 07:35
Frase paradoxal. Percebo o Proust, acho eu. É como aquela de dizer que a vida é o mais certo caminho para a morte, E, para que isso não aconteça, mato-me já!

O que fica é essa verdade ENORME: a vida´tem a incoerência de um sonho'...
Saudações


De MT-Teresa a 12 de Novembro de 2007 às 19:48
Não é o amor um paradoxo?

Quanto aos sonhos...muitas vezes são mais coerentes do que a vida...o pior é o acordar.

Obrigada pela visita e volta sempre


comentar

Bem Vindos



" As ondas quebravam uma a uma. Eu estava só com a areia e com a espuma. Do mar que cantava só para mim

Sophia de Mello Breyner



Esta sou eu

segue-me

. 51 seguidores

Vivências Recentes

Despedida

Se eu pudesse...Mãe!

Maio

Dia Mundial da Dança

A Realização de um sonho

Os Livros e o 25 de Abril

Dia da Terra

Ilusão

Inevitável

Meu Filho

A Eterna Juventude

Flores rubras em Abril

Flores de Páscoa

Deixa-me Voar ...

De novo as flores

Mãe

As Fadas

Poesia Eterna

Primavera

Quanto, quanto me queres?

Sem Título

Ilustração de um dia

Pequenas coisas

Diz-me espelho meu...

O Amor

Os chapéus de chuva de Cl...

Saber viver

Nenúfares

A minha Mãe

Feliz Ano Novo

É Um Sol de Inverno

O Natal e a Caixinha de M...

Ó Poesia sonhei que fosse...

E por vezes ...

Lisboa: Janela aberta par...

Tempos difíceis

Vinicius

Coisas Simples

Vegetal e Só

Amália Eterna

Vivências Passadas

Julho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

Dezembro 2007

Novembro 2007

Outubro 2007

Setembro 2007

Agosto 2007

Julho 2007

Junho 2007

Maio 2007

Abril 2007

Março 2007

Fevereiro 2007

Janeiro 2007

Dezembro 2006

Novembro 2006

Outubro 2006

Setembro 2006

Julho 2009

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
13
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
24
25

26
27
28
29
30
31


Quem visito e me visita


Created by Crazyprofile.com

mais comentados

33 comentários
27 comentários
24 comentários
23 comentários
22 comentários
21 comentários
21 comentários
19 comentários
18 comentários
18 comentários
17 comentários
17 comentários
17 comentários

últ. comentários

Eu quase choro com esse texto, é muito emocional. ...
http://relatodeumaborto.webnode.com/ Minha Histori...
Oi GENTE MEU NOME E ROSE TENHO 13 EU SO...
Chocante
oi meu nome é joice e eu to grávida ...
eu sou totalmente contra o aborto... eu tenho 15 a...
Acho o seguinte: todos cometemos erros! Com certez...
tb naum axo certo o aborto...matarem seu proprio f...
Isso e uma falta de ética. Pq... Q na hr q ...
Olá, Tenho 18 anos , minha namorada é mais nova do...
As nuvens passam, as amaçadores também. Desejo que...
JoãoDesistir nunca! Apenas deixei de escrever, mas...
Todos temos dores, sofremos. [Error: Irreparable i...
Aborto uma das piores coisas da vida,um ser apagan...
ESte blog é muito simpatico, Gostei,Miguel

tags

25 de abril(5)

abril(9)

adeus(9)

alegria(5)

amigos(30)

amizade(14)

amor(137)

aniversário(9)

ano novo(3)

arte(7)

ausência(17)

azuis(9)

beleza(7)

blog(41)

blogue(5)

café(3)

casa das flores(3)

cecilia meireles(6)

cinema(4)

cinza(3)

citação(29)

coisas simples(4)

consciência(3)

cores(3)

dança(16)

david mourão ferreira(7)

descoberta(3)

desejos(7)

desencontro(4)

dia do livro(3)

dor(4)

encontro(4)

enganos(5)

escolhas(4)

escrita(3)

espectaculo(3)

eu(12)

eugénio de andrade(5)

fado(4)

férias(5)

fernando pessoa(3)

filho(15)

fim(4)

florbela espanca(5)

flores(17)

fotografia(13)

fotos(11)

fotos minhas(4)

ilusão(3)

inquietação(3)

joaquim sustelo(4)

josé l. santos(3)

lágrimas(3)

liberdade(13)

lisboa(10)

livros(8)

lua(6)

luz(4)

mãe(7)

manhãs(4)

mar(19)

margarida(4)

maria teresa horta(4)

máscaras(5)

memória(18)

miguel torga(7)

morte(6)

mulher(9)

música(19)

natal(8)

noite(19)

olhos(4)

pai(4)

paixão(16)

páscoa(4)

paz(9)

pintura(13)

poema(117)

poemas de amor(8)

poesia(85)

portugal(5)

primavera(6)

rugby(6)

saudade(24)

silêncio(15)

sol(5)

solidão(19)

sonho(9)

sonhos(4)

sophia m breyner(18)

tango(5)

tempo(14)

trabalho(5)

triste(4)

tristeza(15)

tu(4)

veneza(4)

vida(225)

video(17)

zeca afonso(4)

todas as tags

Pesquisa

 

Favoritos

Vivências

1º Aniversário

As nossas almas

Encontro Mágico

Estrela do Mar II

A Carícia do Sol

Parabéns Filho

A Teia

Dia do Livro

O Crepúsculo

subscrever feeds